Ambidestria organizacional: inovação de uma ponta à outra

Provavelmente você já ouviu falar sobre ambidestria, não é mesmo?  Ambidestria é a capacidade de se ser igualmente habilidoso com ambas as partes do corpo, não se limitando apenas a capacidade de escrever com as duas mãos, ou chutar com ambos os pés. 

E vocês devem estar se perguntando como isso se aplica no contexto organizacional, não é mesmo? Vamos lá que eu explico. 

Ambidestria organizacional: qual a origem e como se aplica 

A palavra “ambidestra” tem origem no Latim: ambi que significa “ambos” enquanto dext significa “certo”, mas o que seria então Ambidestria Organizacional? O que é levado em consideração para que a “ambidestria” aconteça no contexto empresarial? Quais fatores são levados em consideração?

Uma empresa é ambidestra quando consegue conciliar ações para inovação radical e incremental. Mas vamos com calma, o quer significa inovar radicalmente ou incrementalmente? 

A inovação e os seus diferentes graus

Uma categorização possível da inovação se dá de acordo com seus graus de intensidade, tais como incremental ou radical e/ou outros possíveis níveis. A inovação radical é fundamentada na criação de novos conhecimentos, novas formas de gerar valor, produtos e serviços únicos e inéditos.

 Já a inovação incremental tem como base a exploração do conhecimento existente na organização, está relacionada a atividades voltadas para o refinamento e aumento na eficiência dos processos, além de pequenas melhorias em produtos já existentes. Você também poderá encontrar os termos exploration e explotation como sinônimos de inovação radical e incremental, respectivamente. 

A inovação radical é fundamentada na criação de novos conhecimentos, enquanto a inovação incremental tem como base a exploração do conhecimento existente na organização

A partir dessa definição e da existência de diferentes níveis de inovação surgem perguntas: quais são as práticas de gestão para se alcançar a inovação? Essas práticas se diferem de acordo com o nível de inovação que se deseja? É possível alinhar as práticas para os objetivos de curto e longo prazo e para os desenvolvimentos de baixo e alto risco?

O que torna uma organização ambidestra?

E é aí que a Ambidestria Organizacional aparece e parte do pressuposto de que é possível que uma organização inove de maneira radical e incremental simultaneamente. Assim, buscando entender quais são as práticas e estruturas organizacionais que favorecem as inovações nessas diferentes perspectivas. 

As organizações ambidestras são aquelas capazes de explorar simultaneamente as competências existentes e assegurar tanto a viabilidade atual, sem deixar de fora novas oportunidades. 

Estudiosos do tema afirmam que a Ambidestria Organizacional está em duas partes: em uma, na capacidade de se obter vantagem competitiva por meio da aptidão de alinhamento em sua operação corrente; em outra, na adaptabilidade às mudanças no ambiente a qual a empresa está inserida. 

As organizações ambidestras são aquelas capazes de explorar simultaneamente as competências existentes e assegurar tanto a viabilidade atual, sem deixar de fora novas oportunidades.

Existe a fórmula para a ambidestria perfeita?

O conceito de Ambidestria Organizacional traz consigo uma reflexão sobre quais são as variáveis que mais impactam a empresa se tratando de inovação. Não existe uma fórmula para métodos, recursos e formas de organização ideais. 

É preciso refletir estrategicamente sobre quais atividades colaboram para as ações de inovação incremental e quais favorecem as de inovação radical. A partir do entendimento das diferentes práticas é possível traçar um plano consistente para alcançar um equilíbrio entre o radical e o incremental.

Agora que você já sabe um pouquinho sobre Ambidestria Organizacional, conta pra gente: você já conhecia o conceito? Conhece alguma empresa que tem suas ações voltadas para a Ambidestria Organizacional? Como você acha que as equipes lidam com o conflito entre as atividades de inovação radical enquanto otimizam produtos/serviços em inovação incremental?

Compartilhe sua opinião e suas experiências nos comentários!


Compartilhe:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *