Indústria 4.0 e os impactos no setor automotivo

Desde a implantação de computadores e a automatização da linha de montagem em 1970 o setor industrial não via alterações significativas em seu modus operandi. Contudo, estamos vivenciando um novo cenário com a chegada da Indústria 4.0, e o setor automotivo é um dos que apresentam mais oportunidades para esse novo fenômeno. 

Quer saber como o 4.0 vai impactar a Indústria Automotiva? Confira abaixo alguns pontos que destacamos!

Contextualizando: o que é a indústria 4.0

Mas afinal, o que é a Indústria 4.0 de que tanto se fala?

Figura 1: Linha do tempo das grandes revoluções industriais (fonte: industria40.gov.br)

A Revolução 4.0 veio com o propósito de integrar o mundo físico ao mundo digital, propiciando o inter-relacionamento entre máquinas, a otimização e agilidade dos processos e ganhos de eficiência. A Indústria 4.0 se caracteriza pela inserção de tecnologia inteligente nos processos industriais e, para tanto, alguns pontos são fundamentais:

  • Inteligência Artificial – máquinas e algoritmos passam a tomar decisões autonomamente, dando eficiência e agilidade às linhas; 
  • Aprendizado de Máquinas (machine learning) – as decisões passam a ser cada vez mais assertivas, com as máquinas aprendendo com repetições e identificando padrões
  • Robótica – inserção de robôs autônomos em atividades de suporte à linha, como transporte de peças e fiscalização de padrões de qualidade
  • Big Data e Data Analytics – coleta de grande quantidade de dados e processamento desses dados, transformando-os em informação gerencial
  • Internet das Coisas (Internet of Things IoT) – equipamentos e dispositivos passam a contar com conexão à internet e, dessa forma, conseguem comunicar entre si e com o sistema, facilitando a coleta de dados e possibilitando 
  • Sistemas Cyber-físicos (CPS) – sintetiza a integração entre os ambientes físico e digital. Nos CPSs, todo objeto físico (seja uma máquina, peça ou produto) tem um “gêmeo” digital, facilitando a rastreabilidade e a inteligência de processos

O tema é tão importante, que o governo federal criou o Grupo de Trabalho da Indústria 4.0 (GTI 4.0), que conta com mais de 50 membros como ministérios, órgãos de fomento e empresas. Dessa maneira, o Brasil já conta com uma  agenda nacional para a indústria 4.0.

Resumindo: a Indústria 4.0 consiste em integrar o mundo físico com o mundo digital por meio da implementação de tecnologias e soluções que possibilitam maior controle, eficiência e agilidade dos processos, redução de custos, ganho de produtividade.

Revolução 4.0: entenda os impactos e oportunidades 

As mudanças trazidas pela Revolução 4.0 geram grandes impactos no setor industrial, e a Indústria Automotiva não fica de fora. Sendo considerada um dos segmentos mais avançados em termos de maturidade e automatização de processos, a transformação para uma Indústria 4.0 tem tudo para ser um processo natural.

Como exemplo das mudanças geradas por essa revolução, pode-se citar as “plantas escuras” do Japão. São plantas industriais que não contam com instalações de iluminação elétrica, banheiros ou mobília de escritório, pois há apenas robôs trabalhando desde a entrada do insumo até a saída do produto final. Todo o processo é integrado e conectado, as máquinas interagem entre si e tudo pode ser acompanhado à distância. Assustador? É a nova realidade industrial!

Alguns impactos a serem sentidos e observados pela indústria automotiva são:

  • Integração de máquinas e produtos por sistemas digitais, rastreáveis e otimizados por meio da IoT e Sistemas Cyber-físicos
  • Ganho de eficiência e produtividade com a Inteligência Artificial e o Aprendizado de Máquinas, geradas por decisões mais ágeis e cada vez mais assertivas
  • Desenvolvimento de novas tecnologias, mais eficientes e seguras
  • Integração de toda a cadeia, desde produtores de autopeças até o consumidor final 
  • Uso de grandes quantidades de dados dos consumidores para balizar o desenvolvimento de novos produtos e entender padrões de consumo
  • Veículos conectados e inteligentes, com tecnologia embutida, geram dados e alimentam análises aprofundadas
  • Maior utilização de robôs nas atividades da planta, como o exemplo das “plantas escuras” japonesas

Os limites e promessas dos sistemas cyber-físicos

Nota-se que há muitas oportunidades para o desenvolvimento da Indústria Automotiva 4.0, que reduz custos, aumenta a eficiência e agrega valor a toda a cadeia. Vale ressaltar, ainda, que a Revolução 4.0 demanda novos tipos de profissionais, uma nova cultura e, definitivamente, vontade de fazer diferente.

Outro ponto importante é a relevância de se ter um sistema unificado e integrado, que maximize o potencial de resultado dos fatores de uma indústria 4.0. Sistemas Cyber-físicos geram grande massa de dados quando munidos de informações em tempo real, estas providas via IoT pelo maquinário. A dimensão dessa massa de dados é tamanha que a torna impossível de ser interpretada por humanos em tempo hábil.

Porém, processos como Data Analytics, Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquinas auxiliam a trabalhar com os dados de sistemas cyber-físicos. Aliados a esses processos, tais dados são transformados em informação gerencial rica e de alto impacto. Como resultado, temos processos otimizados e ganho de performance.

A integração permite o maior aproveitamento de cada competência, o que gera à organização uma vantagem competitiva difícil de ser igualada.

Quer entender como a transformação digital já está impactando grandes setores? Confira este case sobre as transformações no setor de energia e fique por dentro do assunto.


Compartilhe:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *