Modelo de negócios para o futuro: o caso SIMCenter

Já pensou poder experimentar um produto antes de ele ter sido produzido? Conseguir testar elementos de um projeto em vez de esperar todas as etapas de produção? E, o melhor: que tal permitir que o usuário esteja presente desde as primeiras etapas de ideação?

O modelo de negócios para o SIMCenter permitiu isso e muito mais. Esse caso de sucesso permitiu que o Brasil estivesse à par do estado da arte na tecnologia e no setor automotivo – afinal, é o primeiro laboratório de simulação dinâmica veicular de toda a América Latina! Mas, indo pelo início: você conhece o SIMCenter?

Neste post conheceremos o que é o SIMCenter e veremos como o modelo de negócios o auxiliou a obter vários resultados notáveis. Sem deixar passar que essa não é uma exceção: confira como ele é um modelo que pode ser replicado!

1. O que é o SIMCenter?

O simulador de dinâmica veicular é o que dá o traço distintivo ao Centro de Excelência em Simulação de Dinâmica e Segurança Ativa Veicular, nome completo do Centro de Simulação de Dinâmica Veicular. Composto por um telão de 230 graus e um cockpit automotivo real, ele é o primeiro do mundo criado em uma universidade.

Fruto da parceria entre a Fiat Chrysler Automobiles Brasil (FCA Brasil) e a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), o Centro permite a simulação instantânea de componentes e sistemas automotivos, estradas e até edifícios para testar a dinâmica de veículos.

Imagine poder alterar amortecedores, molas, pneus, direção, freios e barras estabilizadoras ou até mesmo o motor de um projeto veicular: é isso que a tecnologia do SIMCenter propicia, enquanto analisa as suas características técnicas e funcionais que se tornarão as especificações técnicas das peças físicas.

2. O que foi o modelo de negócios

O SIMCenter captou mais de R$ 18 milhões de reais, com investimentos resultantes da política de incentivo do Inovar-Auto e apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em seu projeto, uma grande estrutura com 20 toneladas de aço e 120 toneladas de concreto sustentam a tecnologia, ocupando uma área de aproximadamente 160 m².

O modelo de negócios foi essencial para tirar tudo isso do papel. Constituído por várias etapas, ele abrange pontos como: Conceituação, Relevância e Justificativa, Frentes de Atuação, Análise da Infraestrutura, Modelo de Governança, Parcerias Viáveis, Estudo de Viabilidade Econômico-Financeira e o Desenvolvimento do Plano de Operacionalização.

Seguindo essas etapas, foi possível definir desde os termos e premissas do projeto, até a linha do tempo com alocação mensal das ações e os respectivos responsáveis, passando por Projeção do Orçamento, dispêndio financeiro, receita e indicadores do Centro, como Ponto de Equilíbrio, Fluxo de Caixa, análise de cenários e possibilidades de receita nas frentes de atuação definidas.

3. Seguindo um bom modelo

O SIMCenter é um exemplo de projeto de modelo a ser seguido, e não uma exceção a ser admirada. Mais que características específicas ou exclusivas, a chave do seu sucesso foi um bom modelo alinhado a parcerias firmes.

O êxito do modelo tríplice hélice é percebido pelos benefícios nas três instituições: a universidade, a empresa e o governo. 

Somando um modelo de negócio exitoso e parcerias firmes, os projetos saltam em qualidade e oferecem grandes chances de sucesso.

Fique a par das ações do SIMCenter e de outros projetos de referência: aproveite e siga nossa company page!


Compartilhe:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *