O que são Sistemas Regionais de Inovação?

Todos nós usufruímos diariamente dos avanços criados pela inovação, mas você já parou para pensar de onde ela vem? Embora a maioria das pessoas concorde que é difícil inovar, é comum ser simplista ao indicar a origem das inovações. Afinal, a resposta plausível é desconhecida do grande público: os Sistemas Regionais de Inovação.

“Mas, espere aí”, pode pensar alguém, “como assim a inovação não é fruto daquele engenheiro incrível? Ou daquele cientista brilhante? Daquela empresa famosa?”. Bom, pessoas ou empresas de fato podem ser agentes inovadores. Porém, para isso acontecer, toda uma rede articulada existe no plano de fundo. E é isso que veremos nesse artigo.

Quer ir além do que trazem as manchetes de jornal e as publicações de rede social? Descubra nesse artigo como os Sistemas Regionais de Inovação são verdadeiros backgrounds que permitem variados agentes despontarem e desenvolverem inovação.

Sistemas e agentes: onde está a inovação?

Não é novidade que o processo de inovação não pode ser entendido como resultado de um esforço individual, ele é um processo coletivo. O conjunto de instituições cujas interações determinam o desempenho inovador das empresas nacionais foi batizado por Richard Nelson como Sistema Nacional de Inovação. Seja esse sistema formal ou não. Além disso, o sistema nacional de inovação são todos os fatores econômicos, sociais, políticos, organizacionais, institucionais, entre outros, que influenciam o desenvolvimento e a difusão de inovações.

Exemplos de atores institucionais são:

  • Empresas: orientam o processo de inovação, realizando a coordenação da pesquisa e desenvolvimento (P&D) com o marketing para alcançar o potencial de lucro da inovação;
  • Universidades: desenvolvem pesquisa e desenvolvimento nas disciplinas associadas a tecnologias particulares e formam o capital intelectual que futuramente irá para as empresas;
  • Laboratórios de pesquisa e desenvolvimento públicos e privados: são dedicados ao avanço tecnológico;
  • Governos: suas políticas influenciam a inovação industrial.

É importante que haja fortes vínculos entre essas várias instituições para melhorar o desempenho nacional inovador e competitivo. A figura abaixo apresenta a visão da Anpei – Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras sobre o Sistema Brasileiro de Inovação.

Alguns países, como o Brasil, possuem regiões que apresentam diferentes características históricas, culturais, políticas, econômicas e institucionais. Nesse contexto, fica a pergunta: como garantir um grau de diversidade também no interior do sistema nacional de inovação? É o que buscamos responder no tópico a seguir.

Sistema Regional de Inovação: qual o seu conceito?

Um sistema regional de inovação (SRI) é um ambiente estratégico que proporciona conexões e alimentam a competitividade regional por meio da inovação.

As principais características desse sistema são a proximidade e intensidade da interação entre os agentes. O termo regional pode estar associado a uma cidade, estado, universidade, aglomeração empresarial, entre outros. O limite do sistema se estende até o ponto em que a frequência de interações entre os agentes se torna pouco relevante.

A proximidade dos atores numa determinada região cria condições que facilitam a troca de conhecimentos. Essas condições também aceleram os processos de aprendizagem e permitem que os agentes respondam, de forma rápida, às mudanças que estão ocorrendo no ambiente competitivo no qual estão inseridos.

Como visto, elementos físicos como geografia e existência de instituições auxiliam na interação entre os agentes. Todavia, eles sozinhos não são suficientes para sustentar a inovação de forma sistêmica. Para entender melhor, veja a seguir como políticas e midset têm um papel destacado para os processos de inovação.

Da política à cultura: como manter a continuidade?

A regionalização também está associada ao grau de autonomia e de competência das regiões para desenvolver políticas e gerenciar recursos necessários capazes de melhorar os processos de inovação, como a infraestrutura de ciência e tecnologia. Por este motivo, as Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa, como a FAPEMIG, são elementos essenciais aos Sistemas Regionais de Inovação.

O mindset dos atores regionais é outra característica importante de um SRI. Ter uma cultura cooperativa, marcada por iniciativas de inovação aberta, relações de trabalho baseadas na confiança, orientação para o aprendizado, entre outros, fortalece a inovação sistêmica local.

Além das dimensões nacionais e regionais, sistemas de inovação também são analisados a partir de perspectivas setoriais e tecnológicas. Quer saber mais? Fique de olho no nosso blog para saber mais sobre esses e outros temas relacionados à inovação e empreendedorismo.


Compartilhe:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *