Erros cometidos por startups em processo seletivo de um programa de aceleração

Os programas de aceleração têm como objetivo fornecer suporte, capacitação e investimento para as startups participantes, o que pode promover ganho de escala e crescimento acelerados para os empreendedores. Nesse contexto, na tentativa de ingressar em um dos programas no Brasil e até mesmo no exterior, muitas startups cometem alguns erros ao submeter-se a um processo seletivo, que resultam em sua exclusão.

Diferentes estágios de maturidade das startups são buscados pelos programas de aceleração. O que se observa em alguns casos é que equipes com negócios muito incipientes tentam esse acesso ao invés de recorrer a um programa de pré-aceleração, por exemplo, ou até mesmo validar sua ideia no mercado. Muitas vezes os empreendedores são atraídos pela visibilidade, maior acesso a investimentos e aumento do networking, optando por investir tempo e demais recursos na seleção de um programa no qual a metodologia não atenderá a equipe naquele estágio, culminando em sua eliminação.

Isso não significa que equipes cujo estágio de desenvolvimento esteja de certa forma avançado serão selecionadas em qualquer programa de aceleração em que fizerem a inscrição. Ou seja, não basta estar em processo de expansão da equipe, com MVP validado e com ganho exponencial de clientes. Boa parte dos programas possuem metodologia adaptada para atender a um nicho específico de startups. Um programa cuja abrangência seja modelo de negócio B2B provavelmente não selecionará uma empresa onde o modelo seja voltado para o B2C, por exemplo.

Além disso, é comum encontrar programas de aceleração com temas específicos, o que interfere diretamente na seleção ou não de determinada equipe. Aqueles cujo foco seja empresas da área de saúde dificilmente aceitará que uma solução de software para gestão de obras faça parte do programa, pois a metodologia de aceleração não terá a mesma eficácia.

Pode-se dizer que uma equipe multidisciplinar, contando com profissionais experientes e especialistas no negócio em que atuam provavelmente estará em vantagem sobre as demais. Uma startup que já possui modelo de negócios validado e vem aumentando o faturamento ao longo do tempo, pode largar na frente no momento da seleção em programas com metodologias mais avançadas. De qualquer modo, mesmo as equipes com mais tempo de mercado não esclarecem quais são as perspectivas para o negócio no curto, médio e longo prazos, o que faz com que as mesmas deixem de pontuar rumo à seleção.

Reconhecer quais são os pontos fortes e pontos de melhorias é muito importante para estabelecimento do negócio no mercado. Se durante o processo os empreendedores não souberem levantar esses pontos, pode-se concluir que os mesmos não sabem ainda qual o problema que buscam resolver, bem como o conhecimento insuficiente da solução que propuseram. Nesse caso, provavelmente a equipe será desclassificada do processo, sendo a sugestão principal identificar profundamente qual é a necessidade do mercado que estão tentando atender. Saber identificar pontos de melhoria antes mesmo de participar de uma aceleração contribuirá diretamente na melhoria do seu produto, robustecendo a solução e criando barreiras para novos entrantes no mercado e mostrando aos avaliadores que possuem conhecimento detalhado dos concorrentes e do seu produto.

Portanto, antes de se inscrever em um processo de seleção de startups para aceleração, estude o contexto do seu nicho de mercado, estágio de desenvolvimento da startup, entenda quais são os pontos fortes e de melhoria da sua equipe e colete feedback do mercado. Caso ainda não o tenha, teste a solução com o seu público-alvo e incorpore novos aprendizados à solução. Entender qual é o momento da sua startup significa investir corretamente o tempo e a mão de obra em atividades que trarão benefícios ao negócio.


Compartilhe:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *