Modelo de negócio: o que é e quais os principais tipos?

A forma como uma organização cria e entrega valor para seus clientes denomina-se modelo de negócio. Trata-se de de uma visão macro de todas as etapas que compõem as ações realizadas pela empresa.

Apesar de estarmos diante de um conceito relativamente simples, muitos gestores e empreendedores ainda ficam em dúvida quando se trata de documentar o passo a passo do negócio.

Por isso, a intenção deste artigo é definir o que é modelo de negócio, apresentando seus principais tipos e explicando por que essa ferramenta é importante para o sucesso organizacional.

Primeiramente, vamos entender melhor como um bom modelo de negócio é estruturado. Acompanhe!

Como um modelo de negócio é estruturado?

A metodologia mais amplamente utilizada na atualidade para estruturar o modelo de negócio de uma empresa é o Business Model Canvas, ou simplesmente Canvas.

Criado no início dos anos 2000 pelo teórico da administração Alexander Osterwalder, o Canvas é uma ferramenta gráfica que permite visualizar os pilares do funcionamento da organização, tais como:

  • o segmento de clientes mais atrativo para o negócio;
  • a oferta de valor do produto ou serviço;
  • as fontes de receita;
  • e a estrutura de custo de todas as operações.

Além dessas, o Canvas propõe a definição de outras cinco áreas de ação essenciais para o funcionamento do negócio, sem desconsiderar a construção de um entendimento preciso sobre o perfil do cliente ou usuário.

Da mesma forma que entender a metodologia, identificar os principais tipos de modelo de negócio existentes também pode esclarecer dúvidas e trazer bons insights no que diz respeito à sustentabilidade da organização.

Quais são os principais tipos de modelo de negócio?

Diversos formatos de modelo de negócio definiram-se ao longo do tempo, sendo comum encontrar a junção de diferentes tipos em uma mesma organização. A seguir, alguns exemplos.

Modelo de negócio B2C (business to consumer)

O produto ou serviço destina-se ao consumidor final, como supermercados, salões de beleza ou lojas de vestuário.

A ação de venda tem maior apelo emocional.

Modelo de negócio B2B (business to business)

Neste modelo o foco é a venda de soluções de empresas para empresas, tais como atacadistas, mineradoras e fornecedores do ramo industrial, com maior relevância do aspecto racional no relacionamento.

Modelo de negócio B2B2C (business to business to consumer)

Define-se quando empresas oferecem o produto ou serviço diretamente ao consumidor, porém, por intermédio de um marketplace, a exemplo do Mercado Livre ou Submarino.

Modelo de negócio SaaS (software as a service)

Trata-se do fornecimento de licença para uso de um software online, sem necessidade de download e mediante o pagamento de uma mensalidade.

Exemplos são Dropbox e Pipedrive.

Franchising

Neste modelo, um terceiro paga pelo direito de uso da marca e da estrutura de gestão de uma empresa por tempo indeterminado ou não.

Exemplos bem conhecidos são Cacau Show, Subway e O Boticário.

Economia colaborativa

Modelo no qual as partes adquirem produtos e serviços de forma compartilhada, como ocorre em serviços de transporte ou hospedagem e espaços de coworking.

Adware

Modelo de negócio no qual a monetização acontece por meio da publicidade em aplicativos e sites de acesso gratuito, tais como Google e Facebook.

Freemium

Um produto é oferecido de forma gratuita ao público consumidor, tendo como pano de fundo a cobrança de um valor para obtenção de recursos adicionais.

Esse é o modelo de negócio de empreendimentos como Spotify e Kaspersky.

Diante dessa classificação, é possível perceber como os modelos de negócio evoluem à medida que o mercado se modifica, criando desafios e oportunidades de forma constante.

Tal percepção nos leva a perguntar: qual é a importância da modelagem de negócios hoje?

Qual a importância da modelagem de negócios?

Verdadeiramente, um ambiente de grandes incertezas pode promover o surgimento de modelos de negócio extremamente inovadores e disruptivos.

Tais modelos podem criar novos mercados e formas de monetização, aproveitando os nichos pouco explorados a partir de soluções atentas às necessidades dos usuários.

Portanto, um bom planejamento estratégico torna-se um imperativo e exige, entre outras iniciativas, a implementação da modelagem de negócios.

Em síntese, ter boas ideias é apenas o primeiro passo para uma empresa ter sucesso e alcançar seus objetivos a curto, médio e longo prazo.

De fato, estabelecer um modelo de negócio sólido é ainda mais essencial, sobretudo diante de um cenário extremamente incerto como o da pandemia do Covid-19.

Além disso, a modelagem de negócios permite que a organização seja capaz de adaptar-se ao cenário no qual ela se insere.

Dessa forma, ao se pensar um novo negócio, é fundamental investir tempo em discussões sobre geração de valor, monetização e outros aspectos delimitados pelo Canvas.

Todo esse processo ajudará o empreendedor a dominar os principais desafios do seu negócio, alinhando oportunidades e capacidades para atuar da forma mais eficiente possível.

Quer entender um pouco mais sobre a importância de um bom modelo de negócio para o sucesso das organizações? Confira um case de modelagem para um laboratório de simulação.


Compartilhe:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *