Você conhece o método Roadmapping?

Onde estamos? Aonde queremos chegar? Como chegaremos lá?

Apesar de simples, essas perguntas não são fáceis de serem respondidas, seja por startups, empresas consolidadas ou até mesmo setores industriais. O planejamento de estratégias organizacionais ou de desenvolvimento tecnológico ainda são um desafio pra muitas organizações, mas pode se tornar mais claro com o auxílio do roadmapping.

Apesar de simples, essas perguntas não são fáceis de serem respondidas, seja por startups, empresas consolidadas ou até mesmo setores industriais. O planejamento de estratégias organizacionais ou de desenvolvimento tecnológico ainda são um desafio pra muitas organizações, mas pode se tornar mais claro com o auxílio do roadmapping.

O Roadmapping ou “Mapeamento de Rota” é um método desenvolvido pelos pesquisadores do IfM (Institute for Manufacturing) da Universidade de Cambridge no Reino Unido, que possibilita a representação gráfica, na forma de um roadmap (mapa), da estratégia de uma organização.

Para tanto, é utilizado um framework estruturado que leva em consideração o horizonte temporal e a relação mercado/negócio, produto/serviço, tecnologia e recursos. Essas dimensões são explicitadas em camadas no mapa. Em resumo, ele permite visualizar quais são os produtos/serviços que precisamos desenvolver para atingir um determinado mercado, qual tecnologia e recursos serão necessários para esse desenvolvimento e quando eles devem estar disponíveis.

Como criar um TRM para a minha empresa?

Normalmente, na criação de um TRM, o processo é dividido em workshops, que são precedidos de um momento de planejamento. No planejamento é realizada a customização do método para o contexto da organização, definindo-se quais serão as camadas utilizadas, o horizonte temporal, quem serão os participantes, o que será discutido, dentre outros.

Os workshops:

  1. Workshop de mercado: tem como objetivo identificar, agrupar e priorizar os direcionadores chaves de mercado e negócio. Estes direcionadores definem a motivação da organização para desenvolver soluções e viabilizam a criação de critérios para a priorização das características de produtos e serviços. As saídas esperadas dessa seção são: uma lista priorizada dos direcionadores dos consumidores (necessidades, tendências, etc.) e uma escolha do posicionamento estratégico da organização no mercado.
  2. Workshop de produto: nesse momento são definidas as características de conceito de produtos que irão permitir alcançar o(s) mercado(s) identificado(s) no primeiro workshop. Identificando as tendências de evolução do produto, a equipe estará capacitada a estabelecer metas internas de desenvolvimento. A principal contribuição deste tipo de roadmapping é a visualização da evolução de uma plataforma ou família de produto, indicando as próximas gerações de seus produtos – com suas novas funcionalidades – ao longo do tempo para cada segmento de mercado.
  3. Workshop de tecnologia: objetiva a identificação de possíveis soluções tecnológicas que possam viabilizar as características de produto desejadas e também de lacunas de conhecimento, recursos e as habilidades que precisam ser desenvolvidas.
  4. Workshop de mapeamento: esse último workshop tem como objetivo revisar e reunir os resultados obtidos nos momentos anteriores e assim, construir o primeiro roadmap. Este também define o formato do mapa, identifica os marcos-chave, posiciona os direcionadores de mercado e negócio, a evolução das características de conceito do produto e as soluções tecnológicas ao longo do horizonte de planejamento estabelecido, além de conectá-los no mapa para explicitar sua interdependência.

Por que utilizar o método?

Vários são os benefícios da utilização do roadmapping, entre eles destaca-se:

  • Desenvolvimento tecnológico orientado para negócios;
  • Alinhamento do planejamento ao longo do tempo;
  • Comunicação da estratégia de pesquisa, desenvolvimento e inovação;
  • Identificação de lacunas no mercado;
  • Antecipação de gargalos e dificuldades futuras;
  • Suporte para a tomada de decisão (alocação de recursos, gestão do risco, etc.);
  • Flexível e adaptável;
  • Integração da visão de futuro organizacional com as ações presentes.

Dessa forma, o roadmapping facilita a comunicação e a colaboração entre diferentes áreas, além de propiciar uma tomada de decisão compartilhada.

Ficou com alguma dúvida ou quer conhecer mais sobre o roadmapping? Entre em contato com o IEBT, empresa reconhecida pela aplicação do método.


Compartilhe:


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *