Seleção de soluções inovadoras para a indústria – FIEMG Lab 4.0

O Programa FIEMG Lab Novos Negócios visa contribuir para o desenvolvimento dos ecossistemas de startups, de inovação e industrial, apoiando projetos e empresas de base tecnológica de alto impacto. A sua segunda edição, o FIEMG Lab 4.0, teve como objetivo incentivar a inovação aberta, conectando indústrias e startups.  Para tanto, o IEBT foi contratado para conduzir o processo de seleção das 50 startups que seriam aceleradas durante o Programa. Como resultado foram analisadas 170 soluções para indústria e selecionados 50 projetos inovadores de sete estados do Brasil e também dos Estados Unidos. Essas startups irão impactar principalmente a área de produtividade e gestão das indústrias, com tecnologias como inteligência artificial, machine learning, big data analytics, IoT e computação em nuvem.

Situação

A cultura de inovação e empreendedorismo em Minas Gerais se fortalece mais a cada dia, transformando o estado em um dos polos de startups do país. Atenta a esse contexto, a FIEMG promove o Programa FIEMG Lab Novos Negócios, que acelera startups com soluções industriais. O programa fortalece as indústrias de Minas com inovações, contribuindo para a diversificação e aumento da competitividade dos negócios.

A edição do FIEMG Lab 4.0 tem por objetivo impulsionar 50 projetos inovadores com foco em soluções para a indústria e conta com CEMIG, Gerdau, RHI Magnesita e Vale como parceiras. O IEBT contribui com o Programa estruturando e conduzindo todo o processo de seleção, visando garantir que os projetos selecionados estivessem alinhados às expectativas e características do Programa.  Trabalho similar já havia sido realizada na primeira edição do Programa, em 2017. 

Abordagem

O processo de seleção das startups contou com três fases de avaliação classificatórias e consecutivas:

  • Enquadramento: verificação dos requisitos básicos para participação no programa;
  • Fase 1 de avaliação: seleção de 75 startups por meio da análise das informações e documentos encaminhados na inscrição;
  • Fase 2 de avaliação: seleção das 50 startups por meio de entrevistas realizadas por videoconferência. 

Para tanto, a equipe do IEBT foi responsável não só por estruturar os parâmetros e plataformas de avaliação, mas também por mobilizar o comitê de avaliação, formado por mais de 120 profissionais, e conduzir as entrevistas. Entre os avaliadores estavam especialistas do mercado em diferentes áreas do conhecimento, pertencentes a universidades, ao ecossistema de startups e inovação, além da comunidade empresarial, incluindo representantes das indústrias madrinhas.

O IEBT também encaminhou a cada uma das startups inscritas um compilado de feedbacks dos avaliadores, indicando os pontos de destaque e os pontos de melhoria das mesmas. Contribuindo para o desenvolvimento e aprimoramento desses negócios e, consequentemente, para o fortalecimento do ecossistema de inovação.

Resultados

Ao final do processo, foram selecionadas 50 startups para aceleração, advindas de sete estados brasileiros diferentes, além de uma do exterior. O resultado surpreendeu positivamente os idealizadores e parceiros do Programa, pelo nível da qualidade e maturidade das soluções apresentadas. É possível conhecer um pouco mais sobre as startups selecionadas neste link.


Compartilhe: